17 de dezembro de 2015

Janot pede para STF afastar Cunha do mandato e da presidência da Câmara

blogs de sao jose do Belmonte, noticias de sao Jose do belmonte, politica de sao Jose do belmonte, tribuna belmontense, tribuna belmonte,
O procurador-geral, Rodrigo Janot, pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) nesta quarta-feira (16) que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), seja afastado do seu mandato parlamentar e da presidência da Casa, cargo que ocupa desde fevereiro.
Segundo o pedido, Cunha utilizou o cargo para interesse próprio e com "fins ilícitos", diz a nota divulgada pela Procuradoria, que afirma ainda que Cunha usou o cargo para "constranger e intimidar" parlamentares e réus em processos judiciais. As sucessivas manobras de aliados de Cunha para atrasar o processo contra o deputado no Conselho de Ética também foram citadas na ação da Procuradoria.

Em entrevista na Câmara pouco depois do pedido de Janot, Cunha disse que trata-se de uma "cortina de fumaça". "É tentativa de desviar o foco da discussão de hoje [no STF]. Aquilo que chamaram de golpe, de manipulação, aquilo tudo está confirmado pelo voto do ministro relator", declarou.
Janot apontou em seu pedido 11 fatos que comprovariam que Eduardo Cunha usa seu mandato de deputado e o cargo de presidente da Câmara para "constranger e intimidar parlamentares, réus colaboradores, advogados e agentes públicos, com o objetivo de embaraçar e retardar investigações contra si".
Entre os pontos citados por Janot, estão as manobras de Cunha para adiar o andamento de seu processo de cassação no Conselho de Ética da Câmara e a suposta intimidação da advogada Beatriz Catta Preta. 
De acordo com o pedido de Janot, houve a "individualização de inúmeros casos concretos que demonstram as espúrias atividades de Eduardo Cunha com finalidade de obstar a devida apuração dos fatos". Ontem, o Conselho de Ética finalmente aprovou a admissibilidade do parecer pela continuação das investigações contra o peemedebista.
Não há ressaibo de dúvidas ao Ministério Público Federal de que, ultrapassando todos os limites aceitáveis no âmbito de um Estado Democrático de Direito, os fatos adiante narrados são demonstrações manifestas de que Eduardo Cunha vem utilizando a relevante função de Deputado Federal e, especialmente, de Presidente da Câmara dos Deputados em interesse próprio e ilícito unicamente para evitar que as investigações contra si tenham curso e cheguem ao termo do esclarecimento de suas condutas, bem como para reiterar nas práticas delitivas.
Rodrigo Janot, procurador-geral da República
O pedido foi protocolado no gabinete do ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo, e deve ser analisado em plenário pelos 11 ministros do tribunal.
Segundo a Procuradoria, documentos apreendidos durante a Operação Catilinárias, desdobramento da Lava Jato, instruíram o pedido. Nesta terça-feira (15), Cunha foi alvo de operação de busca e apreensão da Polícia Federal e sofreu uma derrota no Conselho de Ética da Câmara. No início da manhã de terça, a PF desencadeou a Operação Catilinárias, com busca e apreensão nas residências de Cunha em Brasília e no Rio. Entre os objetos apreendidos estão o celular do peemedebista. 
Janot cita que o afastamento nem chega a ser a medida mais grave que poderia ser adotada -- que seria o pedido de prisão preventiva.
A Procuradoria-Geral da República diz também ter reunido provas de que Cunha recebeu R$ 52 milhões em propina na Suíça e em Israel da Carioca Engenharia.

Denúncia e defesa

Denunciado ao STF (Supremo Tribunal Federal) por suspeita de ter recebido US$ 5 milhões em propina do esquema investigado pela operação Lava Jato, Cunha teve seu nome ligado a contas secretas na Suíça. Ele também foi acusado de mentir à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Petrobras sobre a existência das contas.
Em março, em depoimento voluntário à CPI, Cunha declarou: "não tenho qualquer tipo de conta em qualquer lugar que não seja a conta que está declarada no meu Imposto de Renda".
O Ministério Público da Suíça informou à Procuradoria brasileira que Cunha foi investigado naquele país por suspeita de lavagem de dinheiro e corrupção, e que os valores depositados nas contas foram bloqueados. A investigação suíça já foi enviada ao Brasil.
Cunha nega as acusações e diz que não irá renunciar ao cargo de presidente da Câmara.

Cunha guardava em paletó boletim de ocorrência de ex-relator de cassação


A busca e apreensão realizada pela Polícia Federal na residência oficial da Presidência da Câmara e em endereços do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ligam o peemedebista a acusações de ameaça a um deputado, ao banqueiro André Esteves e ainda a contas na Suíça.

Segundo informações da Procuradoria-Geral da República enviadas ao Supremo, foram apreendidas cópias de boletins de ocorrências referentes ao deputado Fausto Pinato (PRB-SP), que acabou afastado da relatoria do processo de cassação de Cunha após manobras de aliados.

Foi encontrado no bolso do paletó do peemedebista um boletim de ocorrência referente ao crime de ameaça supostamente praticado em desfavor de Pinato.
"O fato de o Cunha guardar cópia deste boletim demonstra interesse incomum por um fato ocorrido a um terceiro que não é pessoa de sua estreita proximidade. O interesse só se justifica se as supostas ameaças dirigidas ao ex-relator do Conselho de Ética tiverem origem em ações preordenadas pelo Cunha, o que é bastante plausível, considerando que o deputado Fausto Pinato manifestou-se favorável à abertura do processo em face" do peemedebista.

O procurador também cita inclusive a entrevista do ex-relator à Folhapublicada na semana passada, na qual ele disse ter recebido oferta de propina.

No quarto do casal, foi encontrado uma folha impressa "contendo informações sobre a aquisição da Petrobras do campo de Benin". Dados do Ministério Público apontam que parte do dinheiro de propina paga para viabilizar um negócio com a Petrobras na África em 2011 referente ao campo de Benin alimentou contas secretas na Suíça que pertenciam a Cunha e a familiares. Foram localizados ainda vários documentos do banco suíço no qual Cunha e familiares mantinham contas, como pagamentos.

A Procuradoria relata ainda que há dados sobre a atuação da prefeita de Rio Bonito (RJ) e ex-deputada Solange Almeida na Câmara, especialmente aapresentação de requerimentos, além de outros aliados como o deputado Hugo Motta (PMDB-PB), que comandou a CPI da Petrobras.

A ação da PF também identificou documentos sobre matérias legislativas de "grande interesse do Banco BTG Pactual", que era controlado pelo banqueiro André Esteves, que está preso acusado de participar de uma trama para atrapalhar as investigações da Lava Jato.

Há ainda depósitos para o corretor de valores Lúcio Bolonha Funaro, apontado como importante aliado de Cunha e foi delator no esquema de corrupção da Petrobras.

FROTA DE LUXO
A Procuradoria aponta que Eduardo Cunha estava por trás de requerimentos e convocações feitas a fim de pressionar donos do grupo Schahin com apoio do doleiro Lúcio Funaro. Lúcio Funaro, dizem os investigadores, pagou parte de carros em nome da empresa C3 Produções Artísticas, que pertence à família de Cunha. A empresa é proprietária de uma Pajero e Tucson.

"Tais elementos demonstram que Lúcio Funaro, direta ou indiretamente, pagou veículos no valor de pelo menos R$ 180 mil em favor da empresa de Eduardo Cunha. Não há qualquer fim lícito que justifique a referida transferência".   notícias de são josé do belmonte,  politica de são josé do Belmonte, Belmonte política, Belmonte notícias,polícia Belmonte, polícia são José do belmonte, política de são José do Belmonte, são José do Belmonte, Belmonte, belmonte noticias blog, belmonte noticias 190,blogs de são Jose do Belmonte, blogs de são José do Belmonte, são José do Belmonte, tribuna Belmonte, tribuna belmontense,Belmonte,


VOLTE À PÁGINA INICIAL





Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Quem somos

O Tribuna Belmontense é um blog de divulgação de notícias locais e regionais sobre os mais diversos assuntos de interesse geral.

Agradecemos sua visita. Volte Sempre :)

Twitter

Copyright © Tribuna Belmontense - São José do Belmonte - PE

Design por