18 de outubro de 2015

POLÍTICA: Balança mas não cai

 Mesmo com um forte ataque especulativo liderado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidente Dilma Rousseff garantiu, ontem, na Suécia, que mantém o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, no comando da economia. Já bem antes, na semana passada, durante reunião da junta orçamentária, onde começou a ser discutido o cenário de déficit no orçamento deste ano, Dilma já havia dado sinais de que não iria trocar Levy, ignorando, portanto, o jogo sujo de Lula para derrubá-lo.


Movimento pela renúncia– Vice-líder do Governo na Câmara, o deputado Sílvio Costa (PSC) desembarca cedo, hoje, em Brasília para recolher a assinatura de todos os líderes partidários na Casa num documento pedindo a renúncia do presidente da Casa, Eduardo Cunha. "Vou pedir a assinatura independentemente de o partido ser de oposição ou da coalizão governista, porque esse é um assunto da Câmara Federal, que já está pagando muito caro pelos problemas de seu presidente", diz.

Estocada em Cunha– Durante entrevista na Suécia, onde cumpre viagem oficial, a presidente Dilma Rousseff comentou as denúncias de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), tem contas secretas na Suíça. "Eu lamento que seja um brasileiro", afirmou a presidente, por três vezes. Dilma descartou as insinuações de que teria firmado um acordo com Cunha para garantir "estabilidade” ao País. "Eu acho fantástico essa conversa de que o governo está fazendo acordo com quem quer que seja", disse.
A solução Renan – O afastamento de Eduardo Cunha pode ser definido no que se chama de "solução Renan" - a renúncia ao cargo de presidente da Casa para manter o mandato. Ou mesmo determinado pelo Supremo Tribunal Federal, a pedido da Procuradoria Geral da República. Esta hipótese está sendo considerada diante do volume de documentos enviados pelo Ministério Público da Suíça para a Procuradoria Geral da República. Pelos cálculos de investigadores, isso pode acontecer em algumas semanas.
Na berlinda– Quando aceitou o convite para assumir o Ministério da Fazenda, Joaquim Levy calculava que em seis meses já teria feito o ajuste fiscal na dimensão necessária e, a esta altura do ano, o Brasil já estaria na rota da retomada do crescimento econômico. Não foi nada disso o que aconteceu. O Congresso aprovou com tanta mudança que não deu o resultado esperado. O resultado é que com a economia andando para trás, Joaquim Levy foi para a berlinda. A berlinda do próprio PT e de seu principal líder, o ex-presidente Lula.
CURTAS 
CONSPIRAÇÃO– Visto por ministros petistas como um conspirador do governo da presidente Dilma Rousseff, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) tem se reservado nas últimas semanas, evitando dar declarações à imprensa ou aparecer em público. A pecha de conspirador está sendo difundida pelos “puxas” da presidente.
TAQUARITINGA – Amanhã, retomo minha agenda de palestra e lançamentos do meu livro Perto do coração na cidade de Taquaritinga do Norte, às 19 horas, na Câmara de Vereadores. Na quarta-feira estarei em Palmares, também na Câmara, às 19 horas, e na quinta em Camaragibe, no mesmo horário, na Câmara.Perguntar não ofende: Dilma está fritando Levy ou não vai mesmo aceitar as pressões de Lula? 
notícias de são josé do belmonte,  politica de são josé do Belmonte, Belmonte política, Belmonte notícias,polícia Belmonte, polícia são José do belmonte, política de são José do Belmonte, são José do Belmonte, Belmonte, belmonte noticias blog, belmonte noticias 190,blogs de são Jose do Belmonte, blogs de são José do Belmonte, são José do Belmonte, tribuna Belmonte, tribuna belmontense,



VOLTE À PÁGINA INICIAL






Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Quem somos

O Tribuna Belmontense é um blog de divulgação de notícias locais e regionais sobre os mais diversos assuntos de interesse geral.

Agradecemos sua visita. Volte Sempre :)

Twitter

Copyright © Tribuna Belmontense - São José do Belmonte - PE

Design por