28 de janeiro de 2015

Cissa Guimarães desabafa sobre soltura dos condenados pela morte do filho: ‘Já esperava, mas não deixo de confiar na Justiça'.


Presos desde a última sexta-feira, após serem condenados no processo sobre a morte de Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, Rafael de Souza Bussamra e seu pai, Roberto Bussamra, podem deixar a qualquer momento o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. A defesa de ambos entrou, na noite desta terça-feira, com um pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça, que acabou aceito pela 1ª Vara Criminal nesta quarta. Os alvarás de soltura foram expedidos pouco depois das 16h.

A determinação não surpreendeu a apresentadora. “Eu já estava preparada para isso. É um direito que eles têm e eu sabia que poderia acontecer. Mas não deixo de confiar na Justiça e tenho certeza que ela vai ser feita”, afirmou Cissa.

Na decisão, o desembargador Marcus Henrique Pinto Basilio pondera que “a prisão somente se justifica quando demonstrada, com dados concretos, a intenção do agente em se furtar à aplicação da lei penal”. O magistrado, porém, manteve a retenção dos passaportes dos acusados, para evitar que os mesmos deixem o país.
Cissa Guimarães acredita ainda que o apelo do caso, que ganhou grande repercussão, possa favorecê-la mediante a decisão. “A condenação deles foi forte, uma quebra de paradigma da impunidade e a sociedade como um todo percebe isso”, disse a apresentadora, acrescentando que já procurou seu advogado, Técio Lins e Silva, para indicar quais medidas podem ser tomadas.
Rafael Mascarenhas foi atropelado na pista sentido Gávea do Túnel Acústico, na Zona Sul, que estava interditada. O jovem, então com 18 anos, estava andando de skate por volta das 1h50, no dia 20 de julho de 2010. Na última sexta-feira, quando eles foram condenados, Cissa Guimarães chegou a dizer que estava "aliviada".
Rafael Bussamra recebeu a pena total de 12 anos e nove meses de detenção (sendo sete em regime fechado e o restante em semiaberto). Já o pai do motorista, Roberto Martins Bussamra, foi condenado a oito anos e 11 meses (sendo nove meses em regime semiaberto). Ele subornou os policiais que foram ao local da ocorrência para livrar seu filho da investigação. Pai e filho foram presos e levados para a 13ª DP (Ipanema).
Na condenação de Rafael Bussamra, a pena maior — sete anos em regime fechado — foi para o crime de corrupção ativa. Ele também foi condenado por homicídio culposo (três anos e meio), “inovação artificiosa em caso de acidente automobilístico” (seis meses), fuga do local do atropelamento (nove meses) e participação em “pega” (um ano). Além disso, teve a habilitação suspensa por quatro anos e meio.
Já o pai foi condenado por corrupção ativa (oito anos e dois meses em regime fechado) e “inovação artificiosa em caso de acidente automobilístico” (nove meses). Na decisão, o juiz criticou o fato de o pai ter corrompido os PMs: “Retrata não apenas policiais que acobertam e omitem o crime (sendo, por isso, também criminosos), mas também os falsos pais que superprotegem os filhos, criando pessoas socialmente desajustadas”. Os dois PMs que receberam suborno foram expulsos. 
(fonte: Extra Globo.com)





VOLTE À PÁGINA INICIAL


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Quem somos

O Tribuna Belmontense é um blog de divulgação de notícias locais e regionais sobre os mais diversos assuntos de interesse geral.

Agradecemos sua visita. Volte Sempre :)

Twitter

Copyright © Tribuna Belmontense - São José do Belmonte - PE

Design por